Tag Archives: Textos

O mito da mulher misteriosa

13 Mar

Com certeza você já deve ter visto uma dessas ou no seu trabalho, grupo de amigos ou mesmo andando nas ruas. Talvez você até mesmo seja uma dessas mulheres. É fácil reconhecer a mulher misteriosa. Ela jamais atende o celular na sua frente. Se levanta e vai atender bem longe de você.

E você não sabe se ela está narrando alguma postura do Kama Sutra ou uma receita de bolo de fubá da vovó. O toque do seu celular é discretíssimo e você nem percebe que ela saiu de perto pra atender. Porque ela também é discretíssima.

Por que terminou o namoro da mulher misteriosa? Ela enjoou dele? Levou um pé na bunda? O cara morreu? Ela ta sofrendo? Você nem sonha. Ela não conta nem pro terapeuta. Aliás, você também jamais vai descobrir se existe um terapeuta. Sua idade é entre 25 e 38 anos. Não dá pra saber só de olhar. Seu rosto se desfaz em segundos. Talvez ela more nos Jardins. Pinheiros. Veio de Curitiba. Ela é carioca? É ali por perto, você acha. Seu carro é preto ou cinza, quase certeza. Ela gosta de música, porque vive de I-pod. Mas o que será que ela escuta? Nada. você não sabe absolutamente nada da mulher misteriosa. Quando você a encontra no banheiro, dá um segundo e ela desapareceu. E você louca pra descobrir, ao menos, a marca da sua pasta de dente.

Numa mesa de bar com conversa animada ela se limita a sorrir. Numa festa importante ela se limita a aparecer por minutos e desaparecer em segundos. Em um show ela jamais canta as letras, rebola, comemora, fica suada. Aliás, quem é que já encontrou ela em algum show? Ou em algum lugar? Mas era ela, não era?

Dizer seu nome em vão parece até um pecado. Ela nunca fala de ninguém e muito menos dá assunto para alguém falar dela. Não se tem nada a dizer dessa mulher. Mas, para desespero geral de todas as outras mulheres, o mundo não tem outro assunto.

Todos os homens desejam loucamente a mulher misteriosa. Todas as mulheres desejam loucamente a mulher misteriosa. Sua personalidade incerta acaba se tornando uma personalidade fortíssima e seu jeito anulado acaba se tornando um espaço gigantesco para todos imaginarem o que bem quiserem.

E eu, como estava dizendo, sempre quis ser dessas mulheres imperfuráveis, inatingíveis, inaudíveis e incompreensíveis. Mas nunca consegui. Quando vou ver, já contei minha vida pra primeira pessoa que me deu um pouco de atenção. Já to rindo alto no restaurante porque não me controlei e fiquei feliz demais. Já escrevi um texto sobre o fulaninho da terça passada e publiquei numa revista. E o fulaninho ta morrendo de medo porque escrevi que gosto dele. E se alguém perguntar, vou dizer mesmo que goste dele. E se ele não gostar de mim, minha tristeza não será segredo para ninguém. E minha pasta de dente é para deixar os dentes branquinhos. E quando vou ver, lá se foi a mulher misteriosa que eu gostaria tanto de ser. Porque eu jamais poderia ser uma.

E sofri anos com isso. Até que resolvi conviver de perto com algumas mulheres misteriosas para tentar descobrir o que se passa na cabeça e na alma desses seres incríveis que nunca têm nada a dizer, a doer, a aconselhar, a cantar, a dançar, a morrer de rir, a fofocar, a detalhar, a exagerar, a sonhar, a dividir, a acrescentar. E descobri que a coisa era muito mais simples do que eu imaginava: nada. Não se passa nada de relevante nem na cabeça e nem na alma dessas mulheres.

As mulheres misteriosas, tão admiradas e desejadas, não passam de mulheres sem a menor graça. Elas não calam por mistério, charme ou discrição. Calam porque simplesmente não há nada mais sábio que elas possam fazer.

Texto escrito pela Tati Bernardi.

P.S.: Mais uma vez vim pedir desculpas aqui, pela falta de atualização no blog, mas preciso que vocês entendam que a escola está ocupando um grande espaço da minha vida, e eu sou a única que escreve aqui. Em breve, quero chamar mais pessoas para escreverem aqui, mas no momento to tentando organizar a minha vida na escola, são muitos trabalhos, atividades e já está chegando a época das avaliações parciais. Vou dá um jeito de atualizar sempre que der, outra coisa que quero pedir é que me deem sugestões de posts, podem deixar nos comentários ou mandar pelo twitter. E só pra lembrar dia 6/4 o blog faz aniversário de um ano, e eu agradeço a todos que leem aqui, e assim que der ele vai ser só .com, não sei quantas vezes eu já disse isso, mas dessa vez é sério. Vou mudar tudo até junho (podem me cobrar).

                                                                               Xoxo,

                                                                                          Nanda!

Uma vida de luxo

12 Set

É impossível viver sem ele; só que existem luxos e luxos. Para a milionária Barbara Hutton, a herdeira mais rica dos Estados Unidos, um deles foi mandar fabricar um Rolls-Royce em tamanho pequeno para dar de presente a seu filho, então com 9 anos. E, para motorista do carro, contratou um anão. Será que ter dinheiro demais pira a cabeça das pessoas, elas nunca ficam satisfeitas? Detalhe: depois de nove casamentos, Barbara Hutton morreu pobre.

Para não ser radical, admito que algum dinheiro sempre ajuda, mas não é tão fundamental assim. Então vou falar de algumas coisas que são, para mim, o luxo dos luxos e que não custam quase nada. Acordar num domingo de manhã sabendo que a faxineira não vem, que todos os eletrodomésticos da casa estão funcionando e que, com a graça de Deus, o telefone não vai tocar. O dia será silencioso, e o único movimento na casa será dos gatinhos (agora tenho mais dois) correndo enrolando uns nos outros sem emitir um só som. Um domingo assim é um luxo total. Outra preciosidade é, depois de passar 20 dias sem comer carboidrato, nem unzinho, pegar no armário aquela calça de 15 anos atrás, quando você era uma sílfide, e o zíper fechar. A felicidade é maior do que se ganhasse um brilhante.

E quando você chega da rua,com um calor de matar, pega um copo (bonito, de preferência) e tomar uma água bem gelada, não é um luxo? Se puser dentro de uma jarra (bonita, de preferência) cascas de limão-siciliano e deixar na geladeira, vai ser a água mais fresquinha e perfumada que tomou. Não é um superluxo? Aí você se refresca num chuveiro e depois vai para o quarto, liga o ar-condicionado e se deita numa cama com lençóis brancos limpinhos, cheirosos. Tem luxo maior? Dar um mergulho num mar azul, sem ondas, sem se preocupar com os cabelos, depois tomar uma água de coco? E então comer um peixe grelhado, temperado apenas com sal, limão e um fio de azeite.

Depois de passar por várias paixões sofridas e alguns casamentos errados, não estar apaixonada é um luxo. Uma sexta-feira, às 7 da noite, você está sozinha, sem a angústia de esperar aquele telefonema. Sente-se independente e decide sair. Enquanto pinta o olho, começa a pensar em que restaurante vai sem ninguém para dizer que prefere outro. Quando chega lá, toma dois drinques sabendo que é uma mulher livre e resolvida, que não precisa de ninguém para uma coisa tão banal, que é jantas fora. Não é um luxo?

Bom demais é ter resistido à compra daquele vestido lindo, que fez você ficar duas noites sem dormir pensando “compro ou não compro?”, e passar pela loja uma semana depois, ver que ele está em liquidação, pela metade do preço, e que você nem quer mais.

E quando chega de uma reunião de trabalho com a cabeça quente, se sentindo um lixo, e a empregada fez aquela sobremesa que você adora, não é como se o Universo estivesse todo a seu favor? E o resultado do exame avisando que a saúde está ótima? E seu filho que telefona para dizer que está com saudades? Percebo que misturei muitos luxos com momentos de felicidade; e existe luxo maior do que ser feliz?

P.S.: Texto escrito por Danuza, retirado da revista Claudia (minha mamis tem assinatura), nº4 ano 50, de abril de 2011. Acho que toda segunda vou colocar um texto dessa escritora, ela escreve muuito bem!

                                                                                             Xoxo,

                                                                                                       Nanda!

Menina Bela

24 Ago

Ela é assim, desse jeito, tão difícil de se entender. Ela é linda como o brilho da lua que ilumina o céu escuro nas noites dos amantes, quando ficávamos juntos, abraçados e dizendo que nos amávamos. Tão perfeita como o pôr do sol pairando sobre as ondas do mar azul que costumava olhar da minha janela naquelas tardes quentes em que me lembrava dos nossos beijos. Nada se compara à sua pureza. Eu até poderia comparar os seus olhos com o de uma esmeralda, mas jóias se quebram e o seu olhar tem um incrível e indestrutível encanto que me atrai e me inspira cada vez mais a escrever poemas de amor. É quando eu me perco e sinto coisas que, quase sempre, nem eu mesmo, consigo explicar. Poderia ser paixão, mas vai muito além disso. Poderia ser amor, mas não sei se chega a tamanha proeza. O que sei é que ela teima em aparecer em meus sonhos todas as noites me dando um beijo e dizendo em meus ouvidos palavras apaixonantes. Não sei se tudo isso não passa de ilusões criadas pelo meu coração, para tentar tirar esse vazio e essa solidão que me invade e inevitavelmente toma conta de minh’alma.  Mas quando posso enxergá-la, sinto como se tudo em mim mudasse. Você me inspira a, enfim, viver. E eis a menina que é assim tão difícil de se compreender, mas tão fácil de se amar. Ela nunca sabe o que sente. Não sabe se gosta ou se ama. Se não gosta, se odeia. Sabe apenas que o que é preciso pra ela ser feliz é se entregar de corpo e alma para a vida, sem medo de errar, sem medo de tentar, sem medo de amar, sem medo de nada. Ela diz que sente algo por alguém. Mas não sei o que é que se passa pelo coração dela, e nem quem se passa pela sua cabeça. Ela é tão linda que me leva ao seu mundo, por alguns segundos, em cada um dos seus olhares. Bela de natureza, e aperfeiçoada por vaidade. A meu ver, tudo nela é muito belo. O vento a deixa seduzente ao fazer voar seus cabelos que ganham a cor do sol e incendeiam como fogo e ardem ainda mais o meu forte desejo. Eu me envolvo nas curvas do seu corpo e me entrego sem medo. Tudo muda quando estou ao seu lado, e mesmo que ainda não possa dizer que ela é minha, estarei aqui, pra sempre pensando em quando terei você em meus braços. Sabe por que? Porque de um jeito tão simples, você se tornou assim pra mim… uma menina tão pura, tão especial, tão perfeita aos meus olhos. E assim sem mais nem menos é e sempre serás a minha menina bela.

P.S.: O texto acima foi escrito pelo nosso amigo, Hugo – 14 anos, que estuda na mesma escola que a gente. Ele escreve incrivelmente bem e tem um blog, vão lá visitar galera -> http://www.hugoramoscunha.blogspot.com/

                                                                                   Xoxo,

                                                                                              Nanda!

 

 

 

paulapasquali.wordpress.com/

Tendências, notícias e cultura pop com informações atualizadas de uma forma simples e perspicaz do que está em voga por aí!

OiCarolina

The girl of 5th avenue

niinasecrets.wordpress.com/

secret tips you find here !

latinosamericanos

Just another WordPress.com site

Ponto de vista adolescente

Young, wild and free.